Review Motorola Z3 Play – Conheça o versátil potente da fabricante

[Rumor – ou não] Hands on novos iPhones com até um de 6,5
07/08/2018
Jogos essenciais para o Xbox One
14/08/2018

Review Motorola Z3 Play – Conheça o versátil potente da fabricante

A algumas semanas recebemos em primeira mão o novo Motorola Z3 Play. Testamos o aparelho por mais de uma semana como smartphone principal e ficamos surpresos como em tão pouco tempo uma pessoa pode ter vários gadgets neste potente versátil.

Acompanhe uma review completa do novo Motorola, o smartphone modular que é quase tudo em apenas um, primeiramente, preparamos uma review em vídeo e logo depois temos a análise completa em texto.

A review foi divida em 3 categorias: design, hardware e software. Separamos o que o Moto Z3 Play traz de melhor e de pior em cada um destes aspectos, vamos a eles.

Desing 

 

O Motorola Z3 Play possui um ótimo acabamento com a tela cobrindo praticamente toda a tela, cantos arredondados e uma construção bastante elegante toda em vidro, são ao todo 3 botões físicos, se resumindo a volume e liga e desliga, uma entrada USB tipo C apenas e um slot para cartão de memória e 1 chip, ou caso queira abrir mão do cartão, colocar 2 chips.

Isso ai, o Z3 Play não possui conector de fone de ouvido, você deverá utilizar um adaptador caso queira utilizar o seu, o que é divergente de opiniões no mercado atualmente e pessoalmente achava uma péssima ideia, até adquirir o Gear Icon X da Samsung, de lá para cá nunca mais pensei em fios, acho que foi neste futuro que a empresa da maça estava pensando quando aboliu este conector de seus smartphones.

Ele chama bastante atenção pelo ótimo acabamento e também aparenta ótima resistência (não foram realizados testes do tipo deixe o aparelho cair no chão), ele pesa 155 gramas, possui, 156,5mm de altura, 76,5mm de largura e 6,7 mm de profundidade.

 

A primeira coisa que me chamou atenção foi a câmera dela, um pouco saltada é verdade mas no caso não fizemos testes com os equipamentos modulares na qual ele pode se conectar, e temos quase certeza que ao conectar algum dos motosnaps, isso nem é mais notado.

A construção trazeira é muito bem acabada e elegante, trazendo um aparelho revestido em vidro que além das famosas marcas de dedo exige um cuidado especial na hora de manusear e logicamente é bom para os mais desastrados evitar quedas.

A parte lateral é bastante sobrea e clean, com destaque nas antenas e uma visão de simplicidade em relação aos poucos botões presentes no aparelho, inclusive notamos a ausência de um home botton físico, o que pode atrapalhar um pouco quando não estamos olhando para o aparelho ou desejamos ativar alguma função de acesso ao menu ou aos aplicativos abertos.

A lateral direita conta com a posição mais inovadora de um leitor de digitais, onde seu acesso na verdade é bastante prático e agradável, não tivemos dificuldades para destravar o aparelho seja com a mão direita ou esquerda, e até mesmo utilizar os dedos indicadores e polegares, está ai um lugar interessante para se instalar o leitor de digitais.

O aparelho conta com o acesso mais conhecido para chip e cartão de memória, sendo uma bandeja que você retira colocando o abridor que vem com o aparelho ou qualquer alfinete ou clips que esteja pelo seu escritório.

A bandeja do Moto Z3 Play conta com uma pequena trava muito interessante para não deixar o chip pular quando você abre a bandeja ou simplesmente tenta retira-lo dela, gostamos da opção. Como dito anteriormente, é possível colocar 2 chips ou 1 chip e 1 cartão de memória microSD de até 2.000 GB (é memória para caramba!!!), que podem ser somados aos já 64 GB presentes no aparelho.

Uma coisa que estranhamos no início inclusive do nosso unboxing, foi os conectores que ficam na parte de tras do aparelho, mas entendemos que ele é essencial para conectar aos diversos outros dispositivos que é possível trazer junto ao Z3 Play, mas recomendamos uma case para proteger os conectos, uma vez que o contato com suor e atrito com outras coisas podem com o tempo prejudicar a conexão.

 

Resumindo:

O design é atraente e todo o celular tem ótimo acabamento. Até a posição do leitor de digitais embora tenha causado estranheza na verdade se mostrou bastante prático e agradável. O tamanho do aparelho entretanto, trouxe para uma pessoa com mãos pequenas como eu certa dificuldade na pegada do aparelho, mas se você não tem dificuldade com modelos do tipo plus das fabricantes, certamente não terá com o Moto Z3 Play.

O que mais causou estranheza certamente foi a câmera bastante saltada do aparelho, o que pode ser até ruim ao deixar ele sem qualquer case em superfícies, podendo causar arranhões a própria câmera, que por sinal no Z3 Play são 2.

Embora não tenhamos gostado tanto de ter os conectores bastante a mostra, entendemos que eles são essenciais para transformar no Motorola Z3 Play, um dos aparelhos mais versáteis que existem hoje, podendo ser conectado e transformar o smartphone em uma super câmera da hasselblad, uma caixa de sons de grande qualidade, uma polaroid, uma câmera 360º e até em um mini projetor. É pessoal, os Moto Snaps são realmente muito interessantes e fazem deste um aparelho com grande diferencial.

 

Hardware e suas Funções

Falando agora dos recursos de hardware, ele se destaca por ser tão completo, como a maiore dos flagships de outras marcas, tela de 6 polegadas com 1080×2160 pixel de resolução, tela super amoled com 16 milhões de cores, proteção gorilla glass e 403ppi de densidade de pixels.

Ele ainda conta com duas câmeras traseiras, com 12 e 5 megapixel e abertura de f1.7 e f.2.2 respectivamente. Ah, e a câmera frontal conta com excelentes 8mbpx de resolução.

A câmera grava em 4k e a câmera frontal conta com HDR e modo selfie.

GPS, acelerômetro, gioscópio, bússola e o próprio leitor de digitais são outros recursos legais mas que acabamos nos acostumando a ter nos smartphones.

 

 

A câmera dupla frontal:

 

(Clique nas imagens para ampliar)

A câmera dupla de 12 e 5 megapíxels respectivamente, traz bastante qualidade e uma boa nitidez, com resultados razoaveis em baixas condições de luz, embora tenha uma câmera dupla, nossa maior curiosidade ficou mesmo para o Moto Snaps – Hasselblad True Zoom, que infelizmente não testamos.

Em condições de boa luz como você pode ver nos resultados acima, ela não deixa a desejar e entrega bons resultados.

A câmera frontal de 8 megapixels, também tem uma boa qualidade e não vai decepcionar na hora do selfie.

 

O Processador:

O processador do Motorola Z3 Play é um Qualcomm Snapdragon 636 de 1.8 GHz 8 Core contando o aparelho ainda com 4GB de memória RAM.

Durante todo o uso, inclusive utilizando aplicações mais pesadas e que exigissem mais da parte gráfica do aparelho, não sentimos qualquer engago ou dificuldade inclusive em jogos que exigem mais de um smartphone.

Fizemos testes no Antutu que estão no vídeo de review e análise completo que estará logo abaixo na nossa análise.

 

A tela sensível ao toque:

A sensibilidade ao toque da tela do Moto Z3 Play é bastante agradável e não deixa a desejar, sendo bastante precisa e não causando irritações como quando existe grandes falhas no uso da tela de um smartphone sensível ao toque.

Uma coisa que já não foi tão bem, foi a ausência de um botão ainda que físico na parte debaixo do aparelho para fazer o papel do home button, no caso como o Home é totalmente digital, você pode ter dificuldades para aciona-lo quando não estiver olhando para o aparelho, sendo mais prático as vezes utilizar o botão power dependendo do que você queira fazer.

A Bateria:

A bateria de 3.000 mAh, é consumida como em todo smartphone com a quantidade de funções que o Moto Z3 possui, entretanto conseguimos facilmente chegar ao final do dia com carga, claro que tudo vai depender do uso do smartphone e das funções utilizadas, mas no geral a bateria obteve segundo nossa análise bons resultados.

O Android 

O Motorola Z3 Play já vem com o Android 8.1 Oreo, e neste smartphone ela é bastante coerente e bem próxima ao Android Puro, que seria a versão do sistema sem muitas modificações pelas fabricantes.

São poucos os aplicativos personalizados que a Motorola coloca no Z3, o que sempre me agradou, pois caso os apps que as fabricantes produzem sejam realmente bons, o público certamente irá baixar, mas não achamos o melhor dos mundos nos obrigar a manter instalado ainda que consumindo pouco espaço um app que jamais utilizamos.

A função always on display está presente no Z3, fazendo com que você tenha a visualização de um relógio personalizável mesmo com o aparelho bloqueado, esta função me agrada bastante pois evita com que tenhamos que a todo tempo ficar desbloqueando o aparelho ou apertando botões para saber algo simples como o horário atual.

 

Conclusão Geral

O Motorola Z3 Play é um projeto de custo intermediário com desempenho que não deve aos topo de linha das principais fabricantes, a possibilidade de se integrar o aparelho com projetor protátil, uma pequena polaroid, uma câmera da hasselblad e uma quantidade infinita de funções torna o aparelho bastante versátil e funcional inclusive em outras áreas que não a da própria tecnologia de telefonia móvel.

A fabricante tem mantido os snaps plenamente ativos e com novos lançamentos, e como ele é compatível não só com o Moto Z3 Play mas com modelos anteriores e possivelmente sucessores, consideramos que ao adqurir um aparelho da linha Z da Motorola e alguns snaps, você não ficaria limitado ao tempo de vida útil do Moto Z3, alias para acompanhar os snaps lançados até hoje, basta acessar o site da própria Motorola;

O design do aparelho é bastante convincente e elegante, a câmera saltada é algo um pouco ruim mas que desaparece ao utilizar a maioria dos snaps que comentamos acima. Em relação ao nível de processamento, não sentimos maiores delays e o smartphone se saiu bem em testes do Antutu, tendo bom desempenho inclusive em jogos mais pesados e que exigem maior poderia gráfico. Os 4 gigas de RAM podem ser um limitador, mas para um aparelho intermediário e em conjunto com o processador, acreditamos que ele aguentará o tranco por um bom tempo.

Agradecimentos

Agradecemos a Motorola por tornarem esta review possível, e também pela paciência por todas as vezes que fomos tirar dúvidas a respeito do aparelho.

 

 

 

 

 

 

 

bússola

Philipe Cardoso
Philipe Cardoso
27 anos, Advogado, Carioca, Criador do Portal Zoom Digital, mantém desde a epoca que possuía formato de blog, Podcaster oficial do Zoom Cast. Amante por todo tipo de tecnologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *