As 5 principais dicas de como ganhar seguidores no Instagram
07/01/2019
Overwatch: e-sport conta com punições para comportamento inadequado
30/01/2019

Review – DJI Mavic Air

Quem acompanha nosso canal do Youtube, sabe que eu sou um aficcionado por drones e adquirimos um com nossos próprios recursos para conhecermos esta tecnologia, na ocasião adquirimos o Phanton 3 na versão standard que era a de entrada na época, com o aumento na quantidade de demanda para produção de conteúdos em foto e vídeo para as mídias sociais ou apenas por esporte, a busca por estes equipamentos tem crescido a cada mês e as primeiras versões profissionais se mostravam excelentes mas com um pequeno dilema, o tamanho, apensar de produzirem imagens excelentes, drones como o Phanton 4 Pro, sempre chamaram bastante atenção e foram de difícil locomoção.

Eis que a DJI, uma empresa que carrega inovação em seu nome (Dà-Jiāng Innovations), ao longo dos semestres parece cada vez mais se superar, trazendo novos equipamentos capazes de produzir redutados cada vez melhores com menos esforço e maior praticidade. Eis, então que a empresa lança o Mavic Air,  um drone que apesar do tamanho produz um material de qualidade profissional e vem sendo bastante utilizado por profissionais da área justamente por sua praticidade de locomoção e estabilidade em voo.

Pois bem, recebemos diretamente da DJI, o novo Mavic Air, testamos o pequeno voador por uns 15 dias em diversas situações de voo para trazer para você nossas impressões sobre o drone.

Acompanhe uma review completa do Mavic Air, o pequeno, grande notável drone da DJI, que de cara podemos dizer que apesar do tamanho ele cumpre muito bem seu papel, se tornando um aparelho bastante oportuno para você ter consigo em qualquer situação, afinal nunca se sabe quando poderá tirar excelentes fotos aéreas ou mesmo uma selfie sem precisar pedir a ninguém.

Combo Fly More 

 

Recebemos a versão do Mavic Air com combo fly more, que segundo literalmente se diz, faz com que você possa ter muito mais horas de voo com ele, neste kit acompanha um hub carregador para até 4 baterias, 1 bateria com o drone e 2 extras, hélices extras e protetores de hélice além de uma bolsa que comporta todos equipamentos para você não ter qualquer dificuldade em carrega-los por ai.

Ainda que você não esteja pensando em adquirir a versão fly more de qualquer drone, consideramos extremamente útil adquirir baterias extras, afinal por mais minutos que seu drone possa ficar no ar, sempre será um desperdício perder uma ou outra imagem por causa de falta de energia.

Esta mania de carregar baterias extras já está comigo a um bom tempo, sempre procuro levar comigo power bank, baterias e tudo para que eu não fique na mão quando mais precisar do aparelho.

O hub para carregamente de baterias funciona de forma bastante inteligente mas carrega apenas 1 bateria por vez, então não tenha pressa, mas saiba que caso você queira carregar todas baterias, poderá simplesmente conecta-las ao hub e deixar lá sem que nenhuma seja esquecida de ser colocada na carga.

Agora se você está se perguntando se vale a pena adquirir o combo, basta fazer alguns cálculos simples, partindo do princípio que é muito importante ter baterias extras para seu drone, e que hoje (13 de novembro de 2018) achamos ela a venda no Submarino por aproximadamente R$600,00, temos uma simples conta a ser realizada, 2 baterias + bolsa + hélices + hub, com isso você poderá ver se financeiramente o preço do Mavic com combo fly more estará valendo a pena.

 

Especificações

  • Conexão tipo: WiFi
  • Velocidade máxima: 68.4 kph (Sport – mode), 28.8 kph (P – mode), 28.8 kph (Wi-Fi mode)
  • Máximo tempo de voo (sem vento): 21 minutos (em velocidade constante de 25 kph)
  • Sistema de sensores: Na frentes, atrás e embaixo
  • Máxima distância de transmissão do controle: 4000m ou 4km (com 0 de intereferência e sem obstáculos)
  • Estabilização do gimbal: 3-axis (tilt, roll, pan)
  • Alcance mecânico do gimbal: Tilt: -100° to 22°, Roll: -30° to 30°, Pan: -12° to 12°
  • Alcance controlável do gimbal: Tilt: -90° to 0° (default setting), -90° to +17° (extended)
  • Tamanho do sensor: 1/2.3” CMOS
  • Resolução do sensor: Effective Pixels: 12 MP
  • Alcance de ISO do sensor: 100-3200 (tanto para foto como para vídeo)
  • Lentes: f/2.8 máxima abertura , 24mm equivalente, 85° FOV
  • Modos de fotografia: Single Shot, HDR, Burst Shooting (3/5/7 frames), AEB, intervalo
  • Formato da foto: JPEG / DNG
  • Formato do vídeo: MP4 / MOV (H.264 / MPEG-4 AVC)
  • Resolução de vídeo: 4K Ultra HD (3840×2160 @ 24/25/30p), 2.7K (2720×1530 @ 24/25/30/48/50/60p), FHD (1920×1080 @ 24/25/30/48/50/60/120p),
    HD (1280×720 @ 24/25/30/48/50/60/120p)
  • Bitrate máximo para vídeo: 100 Mbps
  • Armazenamento interno: 8 GB
  • Capacidade da bateria: 2375 mAh
  • Peso da bateria: 140g
  • Cartões de memória suportados: Até 128 GB, microSD classe 10 or UHS-1 Rating Required
  • Dimensões (dobrado): 168×83×49 mm (L×W×H)
  • Dimensões (com "patas" abertas): 168×184×64 mm (L×W×H)

FOTO MAVIC AIR EM SAO PEDRO

Já comentei bastante sobre o tamanho do Mavic e sua praticidade para deslocamento, a versão Air é cerca de 3x mais leve que o modelo Phantom e isso reflete um pouco na estabilidade de voo.

Antes do nosso primeiro voo, fiquei bastante curioso para ver como ele iria se comportar no ar e logo após a primeira decolagem me surpreendi com sua estabilidade de forma bastante positiva. Pensei que pelo tamanho o Mavic Air seria um mais suscetível a força do ar, o que realmente acontece se formos comprar a um Phantom mas de longe ele mostrou o que eu pensei que mostraria.

O Mavic Air é bastante estável inclusive em voos indoor, o que faz dele um dos melhores drones para filmar dentro de galpões e até mesmo para tirar fotos em 360 graus de um ambiente fechado como uma casa.

As coisas mudam um pouco quando o modo sport é ativado e por sinal muito cuidado com o modo sport, em alguns momentos pensei até que o drone poderia literalmente "virar de ponta cabeça", como ele é bem pequeno e o desempenho no sport bastante alto, ele inclina de uma forma que até me assustou no começo, inclusive em caso de "freadas" ou mudanças de direção muito bruscas.

Qualidade de construção e design 

Assim como todo produto que leva a marca DJI que já tive acesso a construção do Mavic Air beira o impecável, difícil achar alguma melhoria que poderia ser feita a título de qualidade e design. Todo Mavic é projetado de forma a ser compacto, eficiente, estável e resistente a possíveis impactos.

Ao segurar o Mavic pela primeira vez, é perceptível sua qualidade de construção e como todas as peças inclusive as internas parecem ser bem organizadas e compacta, mas sem deixar o Mavic vulnerável.

A câmera é bem protegida uma vez que ela fica na parte de "dentro", sendo protegida pela carcaça do drone, inclusive o gimbal também fica na parte interna, o que é muito bom uma vez que é uma das peças de maior complicação para possíveis reparos e ela acaba sendo bastante protegida.

 

O Controle do DJI Mavic Air

Ao contrário do controle gigante da série Phantom, o Mavic Air acompanha algo muito mais compacto e assim como o próprio drone, muito fácil de carregar. Comparando com o Phantom 3 Standard que tem um alcance de até 1km aproximadamente, com o controle do Air, é possível chegar a até 4km de distância do drone, de fato, tamanho não é documento para o Mavic Air.

Ele talvez seja o controle mais compacto da DJI, sendo possível retirar os joysticks e guarda-los dentro de um compartimento próximo a aste que sustenta o telefone que irá ser utilizado para usado do DJI Go.

O controle também tem botões muito simples de entender e fácil de acessar, falando da parte da frente, temos a opção logo no meio de ativar ou desativar o modo sport, onde o drone passa a ter uma velocidade muito superior, entretanto ele acaba ficando com seus sensores desativados, o que cria um sinal de alerta e atenção redobrada por parte do piloto.

É possível ativar as principais funções do drone pelo próprio controle, e embora o APP DJI Go tenha tudo que você precisa, sempre acontece o risco de você ter o telefone travado ou mesmo bateria descarregada, portanto ter controles manuais é algo que eu considero fundamental para drones.

É possível acionar o return to home através de um botão super intuitivo, diferente também do Phantom 3 Standard, onde é necessário subir e descer uma das paletas três vezes para ativar a função manualmente.

Também estão de fácil acesso os botões para iniciar ou pausar um vídeo e tirar fotos.

Como retirar e encaixar as hélices do DJI Mavic Air com segurança 


Dicas para voo indoor com o Mavic Air 


Tempo médio de voo do Mavic Air 


A DJI, promete 21 minutos de voo com o Mavic Air, e novamente falando de tamanho, as baterias são realmente pequenas mas levando isso em consideração a diferença não chega a ser muito grande já que o tempo prometido para o Mavic Pro é de 27 minutos.

Vale destacar que o tempo de cada voo pode sofrer grandes variações conforme a situação do vento, no teste indoor acima, atingimos a marca de 15 minutos de voo com 90% de bateria.

Agora não podemos deixar de mencionar novamente o combo fly more, que acompanha mais duas baterias, ele se torna praticamente essencial para você não ter apenas pouco tempo de diversão ou trabalho com o drone quando for levar ele para longe.

Qualidade de vídeo


No vídeo acima, trouxemos alguns takes tirados com o Mavic Air sem qualquer tipo de edição, justamente para que você possa ter uma noção da qualidade que é possível obter com o Mavic.

O sensor tem capacidade de iso entre 100-3200, além de uma taxa de bitrate de 100mbps e gravação em 4k.

Os arquivos possuem gravações extremamente nítidas e muito agradáveis de se ver, com um pouco de edição e equilíbrio das cores dá para fazer excelentes trabalhos com o Mavic.

A vantagem para os profissionais é o tamanho dele como já falei muitas vezes e a rapidez com que é possível iniciar tomadas ou fotos, além é claro de um alcance bem satisfatório de 4km.

Outro ponto que gostamos bastante foi o desempenho do gimbal, em algumas tomadas mesmo com movimentos bruscos a imagem não fica tremendo, tendo um excelente desempenho mesmo com ventos mais fortes. Apesar do tamanho, estabilidade para o vídeo não é problema para o Mavic Air.

Qualidade de fotografia

Acima temos algumas fotos novamente sem qualquer tratamento ou edição, retiradas diretamente do cartão de memória. 

As fotos foram feitas em JPG, mas também é possível tira-las em DNG, um formato Raw dos drones da DJI e que pessoalmente eu recomendo bastante que sejam feitas sempre neste formato.

Seja para drones ou câmeras digitais, fotografar em Raw permite uma manipulação muito melhor do arquivo no pós processamento, então nada de tirar fotos em JPG ok?

O sensor possui 12 Megapixel de resolução e uma abertura máxima de f/2.8, sendo ainda equivalente a uma lente 24mm.

O resultado das fotos agrada bastante e em comparação ao sensor do nosso Phantom 3 Standard, conseguimos facilmente notar a diferença na qualidade dos arquivos, neste quesito o Mavic Air, supera e muito o modelo básico do Phantom que popularizou tanto os drones.

 

Resumo:

Para resumir o Mavic Air, simplesmente temos que dar a ele a definição de melhor drone que trafega entre a categoria de uso pessoal e profissional, seu tamanho e praticidade tornam ele um dos drones mais fáceis de manusear, seguros e práticos, para você levar em todos os lugares, realmente a possibilidade de ter um drone tão leve te acompanhando a todo tempo faz com que seja muito mais agradável levar ele para qualquer canto.

Assim como o uso de DSLRs pode parecer um tanto inconveniente e muitos viajantes prefiram câmeras mais levas como as compactas e cyber shot, o Mavic Air veio para solucionar os problemas desse mesmo público que quer ter seu drone sempre acessível, mas também não quer viajar em função do drone, carregando algo enorme para todos os cantos e sempre chamando bastante atenção em cada voo.

As especificações do drone são até similares aos mais profissionais, razão pela qual entendemos que dá para utilizar o Mavic sem problemas para serviços profissionais, os recursos também são muito interessantes e o drone se comporta muito bem com funções automáticas, como panorama e modo mundo.

Uma das coisas que notamos foram as interferências, parece que ele sofre um pouco mais com sinais adversos do que seu avô Phantom 3, em alguns momentos chegamos a perder o controle por conta do vento e interferências magnéticas.

Agradecimento

Agradecemos a DJI por tornarem esta review possível, e também pela paciência por todas as vezes que fomos tirar dúvidas a respeito do aparelho.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

bússola

Philipe Cardoso
Philipe Cardoso
28 anos, Advogado, Carioca, Criador do Portal Zoom Digital, mantém desde a epoca que possuía formato de blog, Podcaster oficial do Zoom Cast. Amante por todo tipo de tecnologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *