Joatan Fontoura Estudante de tecnologias. Trabalha na área de TI, adora todo o tipo de gadgets e nas horas vagas tenta ser twitteiro e blogueiro.

Projeto OLPC e laptops caindo do céu

1 min read

Em uma rápida busca sobre o projeto de Nicholas Negroponte, o idealizador do OLPC (One Laptop per Child), ou como é conhecido por alguns, o laptop de US$ 100 dólares (que na realidade nunca chegou a esse valor), é muito provável encontrar comentários referenciando o fim do projeto (ou quase), afirmando que a iniciativa  não evoluiu e blá, blá, blá.

Bom, na realidade a ideia de Negroponte sempre fez sentido, porém, talvez tenha demorado tempo demais para “ir em frente”,  tempo suficiente para o próprio mercado mundial evoluir mais rápido que a mesma. Até porque, comecei a ouvir sobre o projeto lá em 2007, quando os laptops ainda eram caros e pouco acessíveis para as grandes massas, achando a ideia inovadora e realmente aplicável.

Segundo dados, podemos perceber que alguns países como Índia e mesmo nossos vizinhos latino-americanos, Uruguai e Peru entraram na “onda”, mas nada que chamasse muito a atenção.

O mercado cresceu, a tecnologia evoluiu e os custos dos equipamentos eletrônicos baixaram, sem contar os novos conceitos que chegaram nesse meio tempo, assim como os netbooks e os tablets.

Nosso amigo Negroponte ainda quer demonstrar para a população a facilidade em ter um laptop, e principalmente, incentivar a inclusão digital. Assim sendo, agora a ideia é jogar de pára-quedas caixas cheias de laptops, em lugares pouco explorados pela civilização “moderna”, na esperança de que habitantes (humanos é claro) do local explorem o potencial dessas máquinas e aprendam a usar os equipamentos sozinhos.

Criticar a ideia pode ser fácil, só acreditar que essas pessoas vão conseguir definir uma utilidade para aparelhos nunca vistos antes, sem recursos para um melhor uso, e sem alguém para prestar uma a orientação inicial é complicado.

Fonte: Guia do Hardware

Joatan Fontoura Estudante de tecnologias. Trabalha na área de TI, adora todo o tipo de gadgets e nas horas vagas tenta ser twitteiro e blogueiro.

Produtos eróticos ganham espaço em feira de tecnologia

Depois que um massageador pessoal (Osé) foi banido da CES 2019, alguns brinquedos sexuais tecnológicos conquistaram lugar ao sol na edição 2020. Mas como...
Philipe Cardoso
2 min read

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *