Joatan Fontoura Estudante de tecnologias. Trabalha na área de TI, adora todo o tipo de gadgets e nas horas vagas tenta ser twitteiro e blogueiro.

Buscar utilizando “grátis” pode ser perigoso

40 sec read

Aposto que todo mundo em algum momento da usa vida (nerd ou liferuler) já usou o termo “grátis” quando foi procurar por um software, pra determinada função, no Google.

Agora, um relatório mostrado pela McAfee na última semana (Digital Music & Movies Report: The True Cost of Free Entertainment), afirma que pesquisas utilizando termos como “free” ou mesmo “grátis”, aumenta bastante a quantidade de chances para o usuário ser direcionado para um endereço com conteúdo que pode infectar seu computador.

O mesmo fala ainda que nas buscas por músicas, fazendo a inclusão do termo, as chances de “cair” em um link malicioso aumentam em 300%.

Vale lembrar que além do inglês e o nosso português, buscas em outros idiomas podem trazer os mesmos resultados, necessitando de cuidados também.

Ah, e claro…para os desavisados, todo o cuidado sempre é pouco. Clicar em banners e em qualquer outro tipo de links com, digamos, aparência não muito amigável não é recomendado. E isso se aplica algumas vezes até em sites confiáveis.

Fonte: Infosfera – ClicRBS

Joatan Fontoura Estudante de tecnologias. Trabalha na área de TI, adora todo o tipo de gadgets e nas horas vagas tenta ser twitteiro e blogueiro.

Produtos eróticos ganham espaço em feira de tecnologia

Depois que um massageador pessoal (Osé) foi banido da CES 2019, alguns brinquedos sexuais tecnológicos conquistaram lugar ao sol na edição 2020. Mas como...
Philipe Cardoso
2 min read

2 Replies to “Buscar utilizando “grátis” pode ser perigoso”

Deixe uma resposta para Pedro Henrique Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *